terça-feira, 20 de setembro de 2016

Depois Da Formatura

Oi amores, tudo bom?
                   Esse texto é mais um desabafo de uma pessoa formada, do que qualquer outra coisa. Então caso não curta esse tipo de texto, pule para o próximo post que será melhor.
                   Como vocês devem saber (vez por outra eu falo isso em meus posts), sou formada em Letras e a alguns passos de ser pós graduada em Psicopedagogia In stitucional, e isso com 23 anos. Me orgulho muito desses cursos que fiz, e desde o semestre que tive que fazer um estágio obrigatório na minha graduação, sempre achei uma coisa muito deliciosa ser chamada de PROFESSORA. Quando falo com total amor sobre essa profissão, algumas pessoas se assustam e dizem: "Você fala assim por ainda não ter dado aula como professora efetiva.", "Se você soubesse da realidade de um professor tanto em instituições particulares quanto públicas, mudaria de ideia". Sempre rebati dizendo que tinha familiares professores da fundação, e que não importava a realidade. que eu só queria dar aulas. Admito que a realidade, em todos os aspectos dessa profissão ás vezes me assusta, mas o que me incomoda mesmo é esse tempão que estou sem atuar na minha área de formação.


                  Em agosto de 2014 eu já estava de posse do certificado de conclusão e cheia de ânimo para qualquer trabalho que eu conseguisse, e já comecei logo a enviar curriculuns (mesmo empregada). Graças a minha formação, consegui empregos muito bons em dois ministérios diferentes, no mesmo ano. Admito que me acomodei demais nesse período, até começar a ouvir rumores de demissões, e de extinções de ministérios (inclusive do que eu estava trabalhando). Ano passado (2015) por volta de agosto, 1 ano depois de formada, comecei a enviar e entregar curriculuns novamente, conforme meus dias permitiam. Não faço ideia de quantos enviei até hoje, ou de quantos entreguei. Alguns lugares entreguei mais de uma vez e até mesmo fora de época de contratação. Posso contar nos dedos a quantia de entrevistas que fiz de lá para cá (setembro de 2016). Recebi propostas, mas nenhuma que fazia meus coração realmente se sentir feliz: nenhuma era para dar aula.
                   Foi graças a essa "falta de oportunidades" que criei esse blog, para me divertir um pouco ensinando o que aprendi, e também para não me esquecer de em que profissão me encontrei. Se você que está lendo é professor e ama essa ideia lecionar, e anda desanimado por não ter experiência e muito menos oportunidades de exercer a função, relaxa!!! Estamos juntos... Não pare de correr atrás do que gosta, pois professores que realmente gostam de dar aula estão em falta!! Uma hora descobrem o seu talento, assim como tenho fé de que descobrirão o meu. 
                    Mas se você que está lendo faz parte de recrutadores de professores, ou até mesmo é dono de uma escola, comece a pensar em contratar pessoas que acabaram de se formar e que demonstram paixão por dar aula, que tem ânimo para esse trabalho. Com esse tipo de perfil, a escola ganha e os alunos ganham mais ainda. 


Abraços da Professora!!!

Sigam-me > Twitter: Twitter: @jessyoliveraes instagram: jessyoliveraes snapchat: jessyoliveraes             

2 comentários:

  1. Tenho passado pela mesma situação, não está sozinha nesse desabafo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nagiiii!!! É sempre um prazer ver que você está sempre lendo as postagens do blog. Agradeço muito. Poxa flor, é triste ver que tantos estão sem emprego, ou sem conseguir o emprego que quer. Esse post foi para mostrar que está difícil para todos. Mas uma hora chega a nossa vez. Saudades flor. Beijos

      Excluir