sábado, 23 de julho de 2016

PANFLETEI o-O

Moooores, tudo bom?
                  Esse post é para contar sobre minha vidinha e também para explicar meu repentino sumiço. Como vocês sabem, sou formada em Letras e a passos de me pós graduar em psicopedagogia, e esse currículo para mim é, por si só, uma demonstração de bençãos e vitórias sem medidas na minha vida.
                 Trabalhei por um ano e seis meses no Ministério da Pesca e Aquicultura daqui de Brasília, mas diante da crise e cortes governamentais, esse ministério foi extinto, e eu fiquei desempregada a 3 meses atrás mais ou menos. Amores, nunca me desesperei tanto: contas que eu deveria pagar, desejos que queria realizar, esperanças de conseguir um emprego na minha área de formação já muito frustrados (pois eu estava enviando curriculuns para várias escolas desde novembro do ano passado), dentre outros mil e um sentimentos que vem a tona com esse novo status de desempregada.
                 Nesse meio tempo, não fiquei parada mesmo diante do desânimo: comecei a trabalhar para mim mesma corrigindo trabalhos, vendendo cosméticos e até mesmo PANFLETANDO. Galera, pensem que loucura uma pessoa já ter graduação e estar terminando uma pós e ainda assim encarar esse serviço. Não estou dizendo que não é uma forma digna de conseguir um emprego... Mas quantas pessoas tendo a formação que eu tenho fariam esse tipo de trabalho? Não muitas. Falo isso, como quem ouviu de várias pessoas que elas não conseguiriam fazer esse serviço.
                 Mas por mais incrível que possa parecer, esse serviço só me fez ver que, quando queremos muito chegar a alguns objetivos, a certos patamares, devemos sacrificar o nosso orgulho, o nosso ego. E que devemos encarar TODAS as situações da vida como um meio de aprender coisas novas, de dar valor a outras pessoas. Depois desse trabalho com panfletagem, olho para as pessoas que entregam esses panfletos na rua com muito mais admiração, com muito mais respeito. Recebo TODOS os panfletos e ainda peço mais alguns. É muito difícil panfletar: tantas pessoas sem senso sequer de educação, desviam o caminho apenas para não receber (ou deitam no lugar do passageiro para não receber, que foi o que aconteceu comigo o-O hahahahha').
           Enfim amores, foi um aprendizado, foi diferente, e não me arrependo de ter encarado o trabalho.
               Graças a Deus hoje, nesse momento em que postei essa história, estou trabalhando. SIIIIIIM amores, empregada finalmente e na minha área de formação hahha' Tem coisa melhor???? Só tenho a agradecer a Deus principalmente, e as pessoas que Ele usou para me dar essa benção.
                  Com todo esse "textão" só queria que soubessem que, se você encara mesmo as situações mais difíceis como aprendizado, e acabar por encher seu coração dia a dia de esperanças, e principalmente correr atrás do que se deseja, uma hora acaba dando certo.



Espero que tenham gostado do post!!! Abraços da professora.

Sigam-me > Twitter: Twitter: @jessyoliveraes instagram: jessyoliveraes snapchat: jessyoliveraes

Nenhum comentário:

Postar um comentário